A DFDS encomendou um navio ro-ro adicional ao estaleiro chinês Jinling. A companhia dinamarquesa exerceu, assim, a opção prevista num contrato anterior, em que havia encomendado cinco embarcações.

DFDS exerce opção para mais um ro-ro

O novo ro-ro é semelhante aos anteriormente encomendados e terá, também, capacidade para transportar 6 700 metros lineares de carga, equivalentes a cerca de 450 semi-reboques. A DFDS sublinha que a capacidade diminui os custos e o impacto ambiental por unidade transportada.

Os dois primeiros navios devem ser entregues à companhia nórdica pela Jinling no início do próximo ano, o terceiro e o quarto no segundo semestre de 2019 e os dois últimos no primeiro semestre de 2020. Os seis novos ro-ro serão alinhados em serviços no Norte da Europa e no Mediterrâneo.

O programa de alargamento e renovação da frota da DFDS inclui ainda dois navios ro-pax, a serem entregues em 2021 para serem alinhados nas rotas do Báltico. Além disso, estão a ser “esticados” dois ferries ro-ro e será fretado um ro-pax, a ser entregue em 2021, destinado a operar na Mancha.

Contas trimestrais melhoram

A DFDS anunciou, entretanto, as contas do segundo trimestre de 2018. As receitas aumentaram 6% em relação ao período homólogo do ano passado, para 3,9 mil milhões de coroas suecas (523 milhões de euros).

O aumento resultou, de acordo com a companhia, da expansão da rede no Mediterrâneo, bem como do crescimento contínuo nas actividades de transporte de mercadorias no Norte da Europa.

Esses foram também os principais factores para o aumento de 9%, para 802 milhões de coroas dinamarquesas (107,5 milhões de euros), do EBITDA antes de itens especiais.

O crescimento dos volumes de mercadorias transportadas ficou em linha com as expectativas, tanto no Norte da Europa quanto no Mediterrâneo, com uma subida global de 6% no trimestre, ainda de acordo com a DFDS.

 

Tags:

Comments are closed.