A dimensão média dos navios porta-contentores duplicou nos últimos 20 anos, e a tendência é para continuar a crescer, de acordo com a Clarkson Research.

MSC Zoe

As contas da consultora apontam para um crescimento médio de 69% na dimensão dos navios cargueiros desde 1997, para uma capacidade média de 30 582 toneladas DWT

O comportamento não é, porém, uniforme em todos os segmentos, segundo a Clarkson. Enquanto o tamanho médio dos petroleiros até caiu 1% desde 1997, o dos graneleiros, porta-contentores e butaneiros aumentou.

No caso dos porta-contentores, as recentes encomendas de navios de 22 000 TEU ajudaram a elevar o tamanho médio das embarcações para mais de 48 700 toneladas DWT, um aumento de 104% em duas décadas.

Uma tendência que “parece ser para continuar, com a carteira de encomendas a atingir uma dimensão média de 84 000 toneladas DWT”, salienta a análise da Clarkson Research, com a busca incessante da redução dos custos unitários de transporte.

O maior crescimento aconteceu nos navios de transporte de gás. Neste segmento, o tamanho médio aumentou 116%, para 32 600 toneladas DWT, segundo a Clarkson.

Já o tamanho médio da frota de graneleiros aumentou 53%, para mais de 73 000 toneladas DWT, desde 1997. “Esta tendência de ‘upsizing’ parece ser para continuar, com a carteira de encomendas de graneleiros a ter uma capacidade média por navio superior a 102 000 toneladas DWT”, salientam desde a consultora.

O comércio marítimo de minério de ferro e carvão triplicou nos últimos 20 anos, o que contribuiu, indicam desde a consultora, para o aumento do tamanho dos navios que o servem.

 

 

 

 

Comments are closed.