O transporte marítimo de contentores sofre de graves ineficiências por não utilizar todos os dados disponíveis nos movimentos diários, alerta o presidente e CEO da DP World.

Ahmved Bin Sulayem explica o seu ponto de vista num post no LinkedIn com o sugestivo título “Dados são o novo contentor”.  Nessa nota, o líder da DP World  exorta os sectores público e privado a unirem-se para melhorar o uso de big data no envio de contentores.

“[Os] contentores transformaram o transporte para melhor, mas, em alguma altura pelo caminho, perdemos de vista os bens carregados dentro deles”, escreveu o patrão portuário. “Essa falta de visibilidade levou a sérias ineficiências na actual cadeia de abastecimento, com retalhistas ansiosos forçados a pedir mais do que precisam, e mais cedo do que precisam, como medida de prevenção”, acrescenta.

O artigo argumenta que as mudanças trazidas pela tecnologia que varre a indústria naval hoje são tão sísmicas como o momento, em 1956, em que Malcom McLean tornou a contentorização predominante.

“Se Malcom McLean pôde criar ordem no caos com um contentor de aço, então, com os governos e o sector privado a trabalharem de mãos dadas, podemos fazer o mesmo”, insiste Ahmed Bin Sulayem.

O CEO da DP World garante que a companhia que lidera já se encontra “a explorar” as tecnologias e parcerias do futuro. “Com o mundo ainda a despertar para o poder dos dados na ponta dos dedos, estamos apenas a começar”, conclui o executivo.

 

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*