A DP World concluiu a fase inicial de integração com a TradeLens, plataforma de blockchain desenvolvida pela Maersk e IBM.

A DP World tem como objectivo conectar todos os seus 82 terminais de contentores marítimos e interiores, bem como as companhias feeder e as divisões de logística com a TradeLens.

A TradeLens fornece visibilidade em toda a cadeia de abastecimento, da reserva de capacidade ao desalfandegamento das mercadorias e aos pagamentos. Essa visibilidade é construída com base em informações do sector, incluindo integrações directas com mais de 110 portos e terminais, além de mais de 15 autoridades alfandegárias em todo o mundo e um número crescente de fornecedores intermodais.

Para a DP World, a integração com a TradeLens melhorarão a eficiência operacional com visibilidade antecipada dos fluxos de contentores em várias companhias de transporte, de acordo com a Maersk. Essa visibilidade inclui a confirmação da modalidade de transporte que se segue à permanência em porto para cada contentor, o que em transhipments ou portos ferroviários permite um melhor planeamento.

A parceria permitirá, além disso, a expansão dos recursos das plataformas digitais da DP World criadas para gerir on-line a logística. A DF Alliance, SeaRates, LandRates e AirRates permitem que os carregadores movam cargas de e para qualquer lugar ao clique do rato, na rede da DP World e não só.

“A nossa decisão de fazer parceria com a TradeLens é impulsionada pela nossa visão de logística inteligente, reduzindo custos e criando valor. A DP World está a trabalhar para fornecer soluções integradas da cadeia de abastecimento aos carregadores, apoiadas pela nossa rede global de portos, terminais, zonas económicas e operações no interior. Ao trabalharmos com a TradeLens, aceleraremos a digitalização do comércio global”, comentou, em comunicado, Ahmed Bin Sulayem, presidente do grupo e director executivo da DP World.

Em 2019, os terminais da DP World movimentaram 71,2 milhões de TEU de cerca de 70 mil embarcações. Com um conjunto de desenvolvimentos e expansões comprometidos, o operador de terminais espera agora que a actual capacidade bruta de 91 milhões de TEU aumente de acordo com a procura de mercado.

 

Comments are closed.