O porto de Maputo movimentou 18,2 milhões de toneladas em 2017, um aumento de 22,1%, ou 3,3 milhões de toneladas, face a 2016,  anunciou a Companhia de Desenvolvimento do Porto de Maputo (MPDC, na sigla em inglês).

Para o crescimento da actividade muito contribuiu a dragagem do canal de acesso ao porto, cujos fundos passaram de -11 para -14.2 metros, o que permitiu a entrada de navios de maiores dimensões. Facto é que em 2017 o número de escalas no porto da capital  moçambicana foi de 896, contra 955 em 2016.

No caso do canal de acesso ao Terminal de Carvão da Matola, os fundos disponíveis aumentaram para -15,4 metros, sendo que a capacidade média de carvão carregado por navio é agora de 85 mil toneladas. No ano passado foram ali movimentados 5,3 milhões de toneladas.

Até ao final do primeiro semestre deverá ficar concluída a expansão do terminal de contentores, de 150 mil para 250 mil TEU/ano.

No segundo trimestre iniciar-se-á a reabilitação dos cais 6, 7, 8 e 9, num total de 1 058 metros lineares. “A reabilitação irá não só criar cais com fundos de até -15 metros, como irá melhorar a taxa de ocupação dos cais através da criação de uma maior área de atracação”, esclareceu Osório Lucas, director executivo da MPDC.

Já em Março deverá ficar concluído o novo terminal de cruzeiros.

A MPDC é uma parceria entre a Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique (CFM) e a Portus Indico (que agrega a Grindrod (África do Sul), DP World (Dubai) e a Moçambique Gestores).

Os comentários estão encerrados.