A DSV e a Panalpina vão fusionar-se e criar a DSV Panalpina, a quarta maior companhia mundial do sector, com um volume de negócios de 15,8 mil milhões de euros.

As duas companhias chegaram, finalmente, a acordo sobre os termos da oferta de compra anunciada pela DSV. A nova proposta – já aceite pelos detentores de 69,9% do capital da Panalpina -, prevê uma oferta pública de troca de acções, que valoriza a operadora suíça em mais de quatro mil milhões de euros.

A DSV oferece 2,375 acções próprias por cada acção da Panalpina. Nestes termos, a Fundação Ernst Göhner, o maior accionista da Panalpina, tornar-se-á o maior accionista da nova entidade, com uma posição de cerca de 11%.

O Conselho de Administração da Panalpina já recomendou aos accionistas a aceitação da oferta. Se tudo correr normalmente, a fusão deverá estar concluída no final do ano. Nessa altura será proposta a mudança do nome da companhia para DSV Panalpina.

A nova entidade terá presença em 90 países e empregará 60 mil trabalhadores.

Comments are closed.