O mercado mundial de entregas de encomendas urgentes continua a crescer, tendo em 2017 subido 13% face ao ano anterior, de acordo com a Apex Insight. O comércio on-line continua a ser o “acelerador”.

 

O volume de negócios global do sector ascendeu a 350 mil milhões de dólares (286 mil milhões de euros) em 2017, mais 12,9% do que no ano anterior, em que atingiu 310 mil milhões de dólares (253 mil milhões de euros). Sem surpresa, a consultora aponta o comércio electrónico como o principal motor de crescimento, com os envios associados às compras pela Internet a cresceram 25% no ano passado, fechando 2017 com um volume de 230 mil milhões de dólares (187,7 mil milhões de euros). Estados Unidos, Reino Unido, China e Japão destacam-se nesta área.

A propósito de regiões, o relatório da Apex Insight revela que a América do Norte e a Europa representam 50% do negócio de encomendas em todo o mundo, com a Ásia a representar os restantes 40% e a crescer a um ritmo acelerado. Só a China representa 60% do volume total do volume de negócios do mercado no continente asiático.

A análise conclui que os integradores atingem uma quota de 37% do volume de negócios do sector e os operadores postais representam 24%. Os restantes 39% do mercado estão nas mãos das companhias serviço privado de encomendas

A UPS e a FedEx, graças principalmente à força do mercado dos EUA, assim como a DHL são os três operadores que dominam o segmento em todo o mundo por volume de negócios.

A análise prevê que este sector continuará a crescer até 2022, com a China a ser o maior mercado mundial a partir de 2019.

 

Comments are closed.