A Associação de Armadores da Comunidade Europeia (ECSA, na sigla em inglês) apresentou 16+1 propostas  que resumem os pontos de vista e prioridades do sector para a revisão, prevista para 2017, da política comum do transporte marítimo da União Europeia.
Hapag-Lloyd

A ECSA acredita que aquelas propostas podem aumentar a competitividade do transporte marítimo.

“Queremos mostrar à comissária dos Transportes [Violeta] Bulc que as nossas propostas são coerentes com os objectivos globais da Comissão. Há muitos casos de aproveitamento fácil que nos poderão permitir dar uma contribuição útil e concreta para esses objectivos”, comentou, citado pela assessoria de imprensa, o presidente da ECSA, Thomas Rehder.

As sugestões do sector incluem “propostas para estimular a liderança global da UE no transporte marítimo”, mas também medidas para o mercado comunitário, para aumentar o emprego no cluster e ajudar a reduzir as emissões de CO2 do continente através do impulso da co-modalidade. A ECSA propõe ainda uma “melhor lista de verificação à regulação”.

Destaque ainda para a identificação das barreiras que se colocam à criação de verdadeiras Auto-estradas do Mar, a conclusão do mercado único para o transporte marítimo ou a simplificação dos processos para os serviços regulares de short sea shipping. O acesso aos fundos europeus e a formação de marinheiros são outros dos pontos abordados na proposta.

Comissária agradece as propostas

Presente no evento de apresentação das propostas da ECSA, a comissária europeia dos Transportes, Violeta Bulc, expressou a esperança de que ambas as partes possam transformar as propostas em acções concretas.

“Os 16+1 pontos da ECSA são uma proposta muito integrada. Convido a indústria de transporte marítimo a trabalhar de forma estreita com a Comissão nas direcções que propõem. É um processo que nos tornará a ambos mais fortes”, afirmou Violeta Bulc.

 

 

Tags:

Comments are closed.