Os dois candidatos à privatização da TAP apresentaram as respectivas propostas “melhoradas” dentro do prazo previsto, confirmou o Governo. Falta saber que aspectos foram alterados. O Executivo mantém a intenção de fechar o processo até ao final do mês, mas não o garante.

TAP-A330

O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, e a secretária de Estado do Tesouro, Isabel Castelo Branco, falaram hoje aos jornalistas no Ministério da Economia, em Lisboa, reiterando que a Parpública recebeu duas propostas relativas à venda de 61% do capital da TAP SGPS, dentro do prazo definido pelo Governo, para a fase de negociações: uma da Gateway, de David Neeleman, e outra da SAGEF, de Germán Eframovich.

“Não temos informação ainda [sobre os valores]. Agora compete à Parpública fazer os relatórios sobre as propostas”, afirmou Isabel Castelo Branco.

Já o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, disse que “há uma comissão independente que tem acompanhado o processo e que irá elaborar os relatórios que serão entregues ao Tribunal de Contas e à CMVM [Comissão do Mercado de Valores Mobiliários]”, acrescentando que, se houver alterações estratégicas significativas, a TAP também terá de se pronunciar.

Sérgio Monteiro referiu também que esta matéria pode ser decidida no próximo Conselho de Ministros, mas salvaguardou que isso está dependente da entrega dos relatórios.

“Temos competitividade para a privatização da TAP porque continuamos com duas propostas melhoradas, o que mostra que a companhia aérea tem valor estratégico”, afirmou o governante.

Esta semana o Supremo Tribunal Administrativo aceitou uma providência cautelar pedindo a suspensão do processo de privatização da TAP. O Governo respondeu invocando o interesse público para prosseguir com o processo.

Comments are closed.