Os trabalhadores da EMEF que fazem a manutenção dos Alfa pendulares da CP iniciarão no sábado uma greve por tempo indeterminado ao trabalho extraordinário.

Trabalhadores da EMEF que tratam dos Alfa anunciam greve

A greve dos trabalhadores da Unidade de Manutenção de Alta Velocidade (UMAV) da EMEF  é convocada pelo Sindicato Independente Nacional dos Ferroviários (SINFB) e acontece depois de ter sido conhecido que o reforço do número de trabalhadores anunciado para a EMEF não abrange a oficina dos Alfa, segundo o dirigente sindical José Oliveira Vilela.

“A nossa estrutura sindical decidiu que era a gota de água numa situação que já se arrasta há muito na UMAV e que teria de ser desencadeada uma acção que mostrasse a preocupação com o que se está a passar”, lê-se em informação do SINFB.

O sindicalista criticou que não haja recrutamento para a UMAV, onde se “vivem situações muito complicadas por falta de trabalhadores”, o que “obriga a um esforço enorme”.

“Quantas menos pessoas laboram, aumenta mais o peso da manutenção”, garantiu José Oliveira Vilela, prevendo que as informações sobre as “péssimas condições” dos serviços ainda se agravem mais.

“Querermos que a tutela [Ministério das Infraestruturas] olhe de uma maneira diferente para a EMEF e coloque trabalhadores onde são precisos”, disse.

O ministério de Pedro Marques anunciou recentemente o reforço do sector da manutenção do material circulante, com o recrutamento de mais 102 trabalhadores para a EMEF.

Recorde-se que a frota dos Alfa da CP tem estado reduzida por força dos trabalhos de modernização das composições. Uma circunstância que exige mais às unidades que continuam a operar já com metade, ou mais, da vida útil cumprida.

 

Tags:

Este artigo tem1 comentário

  1. Assim, com estas greves, nem em 2020 os combóios Alfa serão renovados e modernizados, eles são apenas 10 para Portugal inteiro e mesmo assim mal vem o calor como no fds até os ar condicionado avariam, 1 vergonha