A partir de Julho, a Emirates SkyCargo operará a partir do Porto, com os olhos postos no Norte e na vizinha Galiza, adiantou ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS o director da companhia para Portugal.

2 de Julho é a data anunciada para o arranque dos voos da Emirates entre o Porto e o Dubai. Serão quatro ligações semanais, com saídas do aeroporto Francisco Sá Carneiro às 17h35 de terças, quinta, sábados e domingos.

Os voos serão operados com aviões B777/3, o que representa um acréscimo de capacidade de carga no aeroporto nortenho de “80 toneladas, ou 320 metros cúbicos por semana”, referiu Fernando Gomes ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS.

Com as chegadas ao Dubai previstas para as 4h15 dos dias seguintes à partida, “esta operação permitirá aos exportadores da zona Norte colocar carga, por exemplo, na China em pouco mais de 24 horas”, sublinhou aquele responsável.

“A zona norte sempre teve muita importância para a operação da Emirates SkyCargo, quer seja outbound ou inbound. No que diz respeito à exportação, estamos a falar de uma média que ronda os 40% a 50% do movimento total mensal”, justificou Fernando Gomes.

Desde 2012, quando se iniciou a operação em Lisboa, que os dois aeroportos estão ligados por camião. Uma solução que agora será substituída com vantagem pelos voos à partida do Porto.

Ganharão os exportadores (e importadores) do Norte. Mas não só. O director da Emirates SkyCargo lembrou que “além da zona norte de Portugal, também é preciso ter a noção do possível potencial que a zona norte espanhola possa trazer para esta operação”. E deixou o desejo/desafio: “talvez seja a altura de contrariarmos a tendência de perder cargas para Espanha”.

Sinal da aposta da Emirates no mercado nortenho – que atrai cada vez mais operadores – a companhia arrancará as operações com uma equipa dedicada à carga no aeroporto do Porto. “Foi decidido e aprovado pelo Dubai a abertura de um escritório da Emirates SkyCargo no Porto. Será uma equipa constituída por três elementos, que irão trabalhar num escritório localizado no terminal de carga do Aeroporto Francisco Sá Carneiro”, referiu.

No ano fiscal de 2018, que no caso da Emirates terminou no final de Março, o negócio da carga aérea da companhia em Portugal cresceu “cerca de 12%” face a 2017. Fernando Gomes sublinhou a tendência crescente vivida desde 2012, “com o apoio dos agentes transitários”, apesar do “abrandamento do mercado em geral” sentido neste último exercício.

 

This article has 1 comment

  1. luis pereira

    Mais 1 vergonha para Lisboa que ainda não permitiu o arranque da construção do NOVO HUB CARGA AÉRA DHL, depois de 4 anos de espera, 1 vergonha Costa !