A (ainda) portuguesa Empark arrebatou a gestão dos 41 mil lugares de estacionamento do aeroporto de Gatwick e com isso mais do que duplicou a sua presença no sector no Reino Unido.

Empark

Com mais esta vitória, conseguida através da subsidiária Empark UK, o grupo português, líder ibérico na gestão de estacionamento, junta o aeroporto de Gatwick aos de Stansted e Edimburgo e atinge os 76 mil lugares de estacionamento em aeroportos britânicos sob gestão.

Juntem-se-lhe 64 mil lugares de estacionamentos de aeroportos da AENA em Espanha e os 10 mil lugares dos aeroportos da ANA, e a Empark assume-se como “uma referência mundial neste tipo de parqueamento”.

A vitória em Gatwick – cujos contornos financeiros não foram divulgados – acontece num momento em que estará iminente a venda da Empark à francesa Vinci Park, controlada pela capital de risco Ardian. O negócio rondará os 900 milhões de euros (incluindo 500 milhões de dívida).

A Empark é controlada pela A. Silva & Silva (50,3%)  e tem entre os seus accionistas a ES Concessions International Holding (22,2%) e a Espirito Santo Infrastructure Fund (com 8,3%). E serão precisamente as participações do BRES/GES que estarão a demorar o processo de venda.

A Empark, que ganhou dimensão internacional quando comprou a Cintra Aparcamientos, gere mais de meio milhão de lugares de estacionamento – em parques e na via pública – em Portugal, Espanha, Andorra, Reino Unido, Polónia e Turquia.

 

Comments are closed.