Fracassada a venda à Vinci Park, a Empark estará ser negociada com Eugenio Hinojosa, avança a imprensa económica espanhola e nega a empresa portuguesa.

Empark

Eugenio Hinojosa tem vindo a construir uma carteira de participações na área da gestão do estacionamento, controlando actualmente mais de 12 mil lugares em Madrid e tendo inclusivamente disputado com a Empark (e a Saba) a concessão dos parques de estacionamento da Aena. Saiu derrotado

Hinojosa não estará sozinho na compra e o “Expansión” garante que o financiamento não será um problema num negócio que poderá superar os 900 milhões de euros (dívida incluída).

Fonte oficial da Empark já refutou, no entanto, a existência de quaisquer negociações, sem adiantar comentários.

A Empark já esteve para ser vendida à Vinci Park (que apesar do nome não é controlada pelo grupo gaulês) mas o negócio frustrou-se depois da avaliação dos activos e, também, avança o “Expansion” citando fontes conhecedoras do processo, pelo facto de muitas das concessões da Empark se situarem em municípios controlados pelo Podemos desde Maio.

Assim sendo, a Empark continua a ser dominada pelo grupo A. Silva & Silva (com 50,3%) e por fundos de investimento da esfera do BES (com cerca de 30%). Está para ser alienada desde 2014.

A empresa, que ainda recentemente venceu a concessão do estacionamento no Porto, realizou no ano passado um volume de negócios de 180 milhões de euros e alcançou um EBITDA de 66 milhões de euros.

A Empark é líder ibérica na gestão de estacionamento (em parques e na via pública) na Península Ibérica mas está também presente em Inglaterra e na Turquia.

 

Comments are closed.