Até ao passado dia 15, o Governo contabilizou 224 milhões de euros nos cortes de despesas propostos pelo Sector Empresarial do Estado (SEE) para 2011, anunciou o Ministério das Finanças.

As administrações portuárias de Lisboa, Setúbal e Sines contam-se entre as empresas públicas que já apresentaram os planos para cortar 15% nas despesas em 2011, tal como pretendido pelo Executivo.

Também a Naer, responsável pelo novo aeroporto de Lisboa, e a Rave, que desenvolve o projecto de Alta Velocidade, se propõem reduzir em 15% os gastos no próximo exercício. O mesmo fez já a Metro do Mondego, sempre que neste caso será intenção do Governo extinguir a empresa.

Os portos de Aveiro e de Leixões, a CP, a Refer, o Metropolitano de Lisboa e a ANAM integram o lote de empresas públicas que apresentaram planos que prevêem uma redução de custos operacionais superior a 10%, ainda de acordo com a nota do Ministério das Finanças.

Os planos de contingência das empresas do SEE estão agora a ser analisados pelas Finanças e terão de ser validados até 31 de Janeiro próximo.

Na nota difundida a propósito, o ministério de Teixeira dos Santos reafirma que “não serão concedidas quaisquer excepções ao cumprimento dos objectivos estabelecidos”.

 

Os comentários estão encerrados.