O número de navios com filtros de gases de escape (scrubbers) em operação (ou com o equipamento encomendado) quase duplicou, para 3 229, ao longo dos últimos seis meses, de acordo com a DNV GL.

Os dados da sociedade de classificação norueguesa indicam que, daqueles 3 229 navios, 857 são novas unidades e 2 372 são embarcações já existentes, nas quais foram instalados os scrubbers. Em Outubro eram cerca de 1 700 os navios com filtros de gases de escape..

A DNV GL indica que cerca de 80% dos filtros instalados ou a instalar em navios são de circuito aberto, enquanto 17% são híbridos. Os sistemas fechados têm como obstáculo a maior complexidade na instalação e manutenção em comparação com os de circuito aberto.

Os sistemas de circuito aberto têm, porém, um futuro incerto, especialmente tendo em conta que várias autoridades portuárias e países impuseram restrições à descarga de águas residuais ou planeiam fazê-lo.

Graneleiros lideram

É a corrida ao cumprimento das novas regras de emissões enxofre que a IMO vai impor a partir de Janeiro de 2020.

Os graneleiros representavam a maior parte dos navios equipados com scrubbers, 35% do total, com os petroleiros e os navios-tanque de produtos petrolíferos a representarem 27%.

Navios de cruzeiro, navios de carga ro-ro, navios-tanque de gás, ro-pax, navios de carga geral, car carriers e ferries para automóveis/passageiros são responsáveis pelos restantes navios equipados com filtros contabilizados pela DNV GL.

 

 

Comments are closed.