Há cada vez mais navios a instalarem filtros de gases de escape (“scrubbers”) para cumprirem as normas da IMO relativas ao teor de enxofre a partir de 2020. Ainda assim, não serão suficientes.

Já há 1262 navios com scrubbers instalados ou encomendadoa

De acordo com a Clarksons Research, o número de embarcações com “scrubbers” instalados ou encomendados atingiu 1 262 navios, o que corresponde a cerca de 3,9% da frota global em termos de tonelagem e a 27,3% da carteira de encomendas de novas embarcações em construção.

Este número compara com as 983 embarcações referenciadas pela Associação do Sistema de Limpeza de Gases de Escape no final de Maio deste ano.

Tem havido uma procura de “scrubbers” particularmente forte nos sectores de ro-ro e VLCC, com as novas construções encomendadas com filtros de enxofre a representarem 73% e 59% do volume de pedidos, respectivamente.

Porém, os especialistas avisam que não só os filtros poderão não ser a melhor opção para todo o tipo de armadores, como a capacidade de oferta daqueles equipamentos poderá não ser suficiente para responder à procura esperada.

No transporte de contentores, já se sabe, são cada vez mais os operadores a dizerem que optarão pelo combustível com menor teor de enxofre, ainda que a maioria aposte, na prática, numa combinação das diferentes soluções para baixar as emissões de enxofre para os 0,5% (actualmente é permitido 3,5%).

 

 

 

Os comentários estão encerrados.