O ritmo de entrega de mega-navios para o Ásia-Europa sofrerá um ligeiro abrandamento em 2016 para voltar a “embalar” no ano seguinte, prevê a Alphaliner.

ULCS

Os dados da consultora indicam que em 2015 já foram entregues 37 navios entre 13 800 e 20 000 TEU e que até ao fim do ano ainda serão lançadas mais 13 embarcações com aquelas características, elevando para 50 o total de entregas, todas para as rotas Ásia-Norte da Europa.

Em 2016, o total de entregas de navios com aquelas dimensões deverá ser de 37, voltando a aumentar no ano seguinte (neste momento já estão agendadas 30 entregas para 2017).

Note-se que, por uma questão metodológica, a Alphaliner contabiliza os novos navios “neo-panamaxes” de entre 13 300 e 14 000 TEU no segmento dos 10 000–13 299 TEU.

Entre as embarcações com entrega prevista para 2016 estão 13 com dimensões dentre 19 000 e 20 000 TEU, das quais 11 para a MSC (da classe Oscar, com uma capacidade nominal de 19 224 TEU) e duas para a UASC (da classe A-18 Barzan, com uma capacidade nominal de 19 870 TEU).

Numa análise às características gerais dos navios entre 18 000 e 20 000 TEU (ver infografia) – encomendados ou já em serviço – a Alphaliner conclui que têm dimensões semelhantes e uma capacidade efectiva de 18 000 a 18 500 TEU.

A consultora sublinha, contudo, que os 11 navios da segunda geração da classe Triple E, de 19 630 TEU que a Maearsk Line encomendou terão uma capacidade real superior a 19 000 TEU, em consequência do maior calado (16,5 metros ao invés de 16 metros).

Comments are closed.