Pela segunda vez, os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) perdem uma encomenda de navios-hotel para a Douro Azul. O negócio, de 50 milhões de euros, está agora a ser disputado pela portuguesa Navalria e pela holandesa De Hoop.

O contrato entre o grupo turístico português e os ENVC estaria já apalavrado, mas acabou por não se concretizar. Mário Ferreira, líder da Douro Azul, em declarações à “TSF”, responsabilizou a administração dos estaleiros, garantindo que apenas faltaram as assinaturas dos ENVC para fechar o contrato.

Em causa está a construção de quatro navios-hotel (e dois barcos rabelos), semelhantes ao “Douro Spirit”, de 80 metros e capacidade para 130 turistas, que desde 2011 navega no Douro.

Para a execução da encomenda, além dos ENVC a Douro Azul contactou a Navalria, a espanhola Armon e a holandesa De Hoop. A Armon também já terá ficado pelo caminho, anunciou Mário Ferreira, e a De Hoop terá apresentado a proposta mais barata. Mas Mário Ferreira diz dar a preferência à Navalria.

A empresa do grupo Martifer já foi a escolhida para a construção do “Douro Spirit”.

Para além do preço e da capacidade técnica dos estaleiros, o líder da Douro Azul faz finca-pé no cumprimento dos prazos de entrega dos navios. Até porque já tem contratada a sua ocupação com operadores turísticos internacionais.

Comments are closed.