A Alta Velocidade entre Madrid e a Galiza só deverá estar operacional em meados de 2021. O atraso é atribuído pela presidente da Adif à instalação do ERTMS.

Alta Velocidade galega adiada para 2021

“Na Primavera de 2021 poderemos ter o arranque do serviço” de Alta Velocidade, afirmou Isabel Pardo de Vera numa entrevista à “Cadena Ser”. “Se os testes em Puebla de Sanabria (Zamora) correrem bem e nos próximos meses colocarmos esse troço em operação em Pedralba, estimo que na Primavera de 2021 poderemos colocar a linha em serviço, a não ser que haja um incidente grave durante os testes, uma possibilidade cada vez mais diminuta”, afirmou.

A presidente da Adif avançou que os testes ao ERTMS serão efectuados em vários troços da linha ao longo dos próximos meses. O sistema permite evitar acidentes como o ocorrido a 24 de Julho de 2013 nos arredores de Santiago de Compostela, quando um comboio que circulava com velocidade excessiva capotou, provocando 80 mortes.

Isabel Pardo de Vera indicou que sua intenção é implementar o sistema ERTMS de nível 2 em todo o traçado para optimizar o desempenho da linha que suporta uma velocidade de 300 km/h, cerca de 100 km/h acima do actual sistema de controlo Asfa.

Os cálculos dos técnicos da Adif indicam que, uma vez concluído o traçado e as medidas de segurança, a ligação Madrid-Ourense terá um tempo de trânsito de 2h15, o Madrid-Santiago de Compostela 2h40 e o Madrid-Corunha 3h10. Esses tempos estarão, claro, dependentes do número de paragens e da oferta dos operadores ferroviários.

 

Tags:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*