Era para ter arrancado hoje, mas faltou a aprovação do Conselho de Ministros. O programa-piloto de desvio dos camiões de algumas estradas nacionais para as auto-estradas em Espanha foi adiado. Os transportadores não gostaram.

Auto-estrada

 

A ministra do Fomento, Ana Pastor, anunciou o adiamento ontem, na Universidade Politécnica de Madrid, na Conferência Anual da Indústria, e explicou que a iniciativa será testada durante quatro meses, pelo que também a data prevista para o seu final, 30 de Novembro, será adiado.

O plano, que recebeu o apoio dos transportadores espanhóis após o governo de Madrid ter recuado na decisão do desvio ser obrigatório, passando-o a voluntário, vai aplicar-se a seis troços de auto-estradas, num total superior a 300 quilómetros.

O desconto nas portagens será de 50% para os camiões que circulem apenas nos troços incluídos no programa-piloto e de 35% para os que entrem na auto-estrada num ponto anterior.

Quem não gostou do adiamento terão sido os transportadores rodoviários de mercadorias. A CETM criticou a ausência de aviso prévio por parte do governo e avisou para os casos em que os transportadores tomem as auto-estradas previstas e sejam surpreendidos com o pagamento integral das portagens.

Além do mais, dizem, não se sabe quando é que o plano irá mesmo para aprovação em Conselho de Ministros.

 

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.