A Eurovinheta deverá ser aplicada de forma progressiva em Espanha, na próxima legislatura, afirmou o ministro do Fomento do governo de Madrid, desencadeando um coro de protestos dos transportadores.

Para José Blanco, não faz sentido que os transportadores espanhóis ajudem a pagar, com a Eurovinheta, a conservação das infra-estruturas rodoviárias em França e noutros países, e que os transportadores gauleses não façam o mesmo relativamente às estradas espanholas.

Uma vez que o Parlamento Europeu já deu o sim à nova directiva da Eurovinheta, lembrou, Espanha deve avançar para a implementação do sistema, defendeu o ministro do Fomento.

José Blanco sublinhou, todavia, que importa debater, no plano europeu e nacional, se a conservação das infra-estruturas de transporte deve ser suportada apenas pelos utilizadores ou por todos os cidadãos.

A Confederação Espanhola de Transporte de Mercadorias (CETM) apressou-se a considerar “inadmissível e deslocada” a proposta do ministro. “Não entendemos a repentina mudança de opinião de um ministro que repetiu publicamente à saciedade que a Eurovinheta é uma medida cuja implementação teria efeitos negativos imediatos na competitividade de toda a economia espanhola”, afirmou em comunicado.

Igualmente a Fenadismer, a Federação Nacional das Associações de Transportes de Espanha criticou José Blanco pela mudança de opinião, lembrando nomeadamente o acordo firmado em Junho de 2008 entre o governo e os transportadores.

Certo é que em Setembro do ano passado – e tal como o TRANSPORTES & NEGÓCIOS noticiou na altura – o ministro do Fomento espanhol garantia que a Eurovinheta nºao avançaria em Espanha na actual legislatura, ou seja, até 2013, não se comprometendo no entanto com o que aconteceria depois. Na altura, os transportadores entenderam tais afirmações como um recuo.

Blanco justificou então não ser intenção do governo acrescentar dificuldades aos transportadores rodoviários de mercadorias.A partir de 1 de Janeiro do próximo ano vários serão os países europeus que implementarão a Eurovinheta.

 

Comments are closed.