A redução das taxas portuárias e das rendas dos terminais deverá custar uns 50 milhões de euros aos portos espanhóis. Mas Madrid confia que no futuro o aumento das receitas compensará as perdas de hoje.

Para combater a crise e atrair cargas, o governo espanhol reduziu em 5% as taxas portuárias e em 8,5% as rendas de ocupação do espaço portuário.

Para as contas dos portos, tais reduções deverão representar uns 50 milhões de euros a menos nas receitas no final deste ano. Mas a ministra do Fomento, Ana Pastor, confia que assim os portos se tornarão mais atractivos para as cargas e, logo, a prazo, as receitas crescerão.

As exportações através dos portos espanhóis cresceram 9% no primeiro semestre, avançou a ministra, e deverão chegar ao final do ano com um ganho de mais de 10%, ou mesmo cerca dos 15%.

Para ajudar ao aumento das cargas nos portos, as autoridades de Madrid contam também com a duplicação dos investimentos privados, de 500 milhões de euros no ano passado para cerca dos mil milhões este ano.

Os investimentos públicos centrar-se-ão em terra, no desenvolvimento das acessibilidades, em particular as ligações ferroviárias com o hinterland.

Comments are closed.