Espanha prevê investir este ano 4,3 mil milhões de euros nas infra-estruturas ferroviárias, com predominância para os corredores de Alta Velocidade.

A proposta de Orçamento de Estado para este ano apresentada pelo governo de Madrid aponta para um aumento de 17% nos investimentos em infra-estruturas de transportes, num total de 8,9 mil milhões de euros.

No caso da ferrovia, o aumento face a 2017 será ainda maior, de acordo com a proposta do Ministério do Fomento: 25%, ou 878 milhões de euros, para um total de 4,3 mil milhões de euros.

De acordo com o ministério de Iñigo de la Serna, estão previstos todos os investimentos necessários ao cumprimento dos prazos de conclusão dos principais corredores: Mediterrâneo (923 milhões de euros), Noroeste (757 milhões de euros), Norte (661 milhões de euros), Cantábrico-Mediterrâneo (82 milhões de euros), Extremadura (283 milhões de euros).

No total serão 3 009 milhões de euros só para a Alta Velocidade.

Na rede convencional, um dos investimentos previstos é a electrificação da ligação entre Salamanca e Fuentes de Oñoro, na fronteira com Portugal.

Para as “Cercanías” (os diversos serviços suburbanos) prevê-se um investimento recorde de 576 milhões de euros.

Portos recebem 899 milhões

Os investimentos em estradas ascenderão a 2,4 mil milhões de euros, divididos quase equitativamente entre construção de novas vias e melhoria e conservação da rede existente.

Para os portos estão previstos investimentos da Puertos del Estado de 899 milhões de euros. (Os privados deverão investir 1 143 milhões).

Os aeroportos receberão 752 milhões de euros da Aena e Enaire.

 

 

 

Os comentários estão encerrados.