Afinal, não é apenas o terminal intermodal mas todo o porto seco de Madrid que será concessionado, por um prazo mínimo de 15 anos. O anúncio do concurso foi hoje publicado no Boletim Oficial do país vizinho.

A concessão será feita por um prazo inicial de 15 anos, mas poderá ser prorrogada até Julho de 2046, o que representa um máximo de 33 anos.

Os interessados têm até ao próximo dia 22 de Maio para apresentarem as respectivas propostas. O valor mínimo pedido pela concessão é de 7,5 milhões de euros nos primeiros 15 anos, acrescidos das rendas variáveis em função do número de unidades intermodais movimentadas no terminal.

A ConteRail, que até agora operou o terminal intermodal do porto seco, é apontada como uma natural candidata à concessão. Mas é natural que surjam outros interessados, dada a localização estratégica do porto seco de Madrid nas relações com os principais portos da Península.

O porto seco de Coslada é detido pela Puertos del Estado, pela Sepes, pela Comunidade de Madrid, pelo ayuntamiento de Coslada e pelos portos de Valência, Algeciras, Barcelona e Bilbau. No ano passado, o governo de Mariano Rajoy anunciou a privatização, mas o negócio gorou-se porque as avaliações feitas ficaram abaixo do mínimo considerado aceitável.

Já no início deste ano, foi anunciado um novo concurso, apenas para a concessão do terminal intermodal, operado até aqui pela ConteRail. Agora surge a concessão de todoo complexo.

No ano passado, o porto seco de Madrid terá movimentado cerca de 105 mil TEU, próximo da sua capacidade teórica de 115 mil TEU/ano.

Comments are closed.