O governo espanhol queixou-se à Comissão Europeia da falta de compromisso de França nas ligações de Alta Velocidade.

Madrid alega que o Executivo francês viola o plano de investimentos acordado com Espanha para o serviço de passageiros entre Bordéus e Irún, no Corredor Atlântico.

França paralisou o investimento e a comissão técnica tem declarado que a construção da linha “não é uma prioridade”, afirmou o ministro do Fomento de Espanha, Iñigo de la Serna, numa cerimónia para assinalar o décimo aniversário do AVE Madrid-Barcelona.

De la Serna comprometeu-se, em Setembro, com a sua homóloga francesa, Élisabeth Borne, a ter concluídas em 2023 “todas as redes de Alta Velocidade” em direcção a França, o que inclui o AVE do Corredor Mediterrânico até à Comunidade Valenciana, a ligação entre Burgos e Vitoria e a conclusão do Y Basco para conectar com o Corredor Atlântico.

Meses antes, o ministro espanhol havia inaugurado em San Sebastián as obras entre Astigarraga e Irún, que permitirão que, a partir de 2019, o país vizinho se conecte com França em bitola europeia. Mas a falta de investimentos franceses na linha de Irún-Bordéus de conexão com a Alta Velocidade para Paris compromete o desempenho do serviço entre San Sebastian e da capital francesa.

 

 

 

 

Os comentários estão encerrados.