A Enaire, holding pública que detém a AENA, iniciou o processo de escolha dos accionistas que constituirão o núcleo duro da gestora aeroportuária espanhola depois da privatização de 49% do capital.

A intenção é escolher um mínimo de dois e um máximo de quatro accionistas que repartam entre si os 21% do capital que lhes estão reservados. A escolha será feita com base no preço que se propõem pagar (e no mínimo a AENA valerá 3,4 mil milhões de euros), na solidez financeira, na experiência na gestão aeroportuária e na capacidade de atrair mais investidores para a IPO agendada para Novembro.

O concurso admite propostas de consórcios mas impõe que pelo menos um dos seus membros cumpra com os critérios de capacidade financeira, sendo que terá de ter pelo menos 30% do grupo candidato.

Os accionistas do futuro núcleo duro ficarão obrigados a manter as respectivas posições pelo menos durante um ano, sendo mais valorizadas as candidaturas que garantam maturidades mais longas.

A escolha dos accionistas de referência da Aena deverá ficar concluída até ao final da primeira semana de Outubro. O preço definitivo que pagarão pelas acções será decidido na venda em Bolsa de mais 28% do capital, naquela que será a maior IPO na Bolsa de Madrid nos últimos 16 anos.

Depois da privatização, o Estado espanhol manterá, pois, a maioria de 51% do capital da Aena.

A Aena é uma das maiores gestoras aeroportuárias do mundo, gerindo 46 aeroportos em Espanha e outros 15 em todo o mundo.

Tags:

Os comentários estão encerrados.