A ESPO lamenta que os portos europeus tenham de suportar os custos das “quantidades excessivas” de lixo produzidos pelos navios e pretende que a Comissão aprofunde a aplicação do princípio do poluidor-pagador . . .

 

*** CONTEÚDO DE ACESSO RESERVADO. FAÇA LOGIN OU TORNE-SE ASSINANTE T&N ***