Moçambique concessionou à New Coal Terminal Beira (NCTB), controlada pela indiana Essar Ports, a expansão do terminal de carvão do porto da Beira, anunciou Ambrósio Sitoe, porta-voz do Ministério dos Transportes e Comunicações.

Porto da Beira - termina de carvão

O objectivo é mais do que triplicar a actual capacidade – de seis milhões de toneladas/ano – para responder ao aumento da capacidade de transporte da Linha do Sena, que liga Moatize, província de Tete, ao porto da Beira, província de Sofala, de 6,5 milhões para 20 milhões de toneladas/ano.

“As obras [de modernização da Linha do Sena] estão em fase bastante adiantada, devendo ficar concluídas em Dezembro próximo, mas o terminal de carvão do porto da Beira continua com uma capacidade de escoamento de carvão de cerca seis milhões de toneladas por
ano, havendo por isso necessidade de se acelerar a harmonização das duas infra-estruturas”, disse Ambrósio Sitoe, citado pelo “Notícias”, de Maputo.

Ambrósio Sitoe, que é igualmente porta-voz do XXXIV Conselho Coordenador do MTC, a decorrer na cidade da Matola, adiantou terem sido discutidos durante o conselho projectos prioritários ligados ao desenvolvimento do porto da Beira, caso da linha de Machipanda, cujo estudo de viabilidade já foi concluído, bem como a recuperação do cais 11, que vai garantir a logística de carga contentorizada.

A New Coal Terminal Beira (NCTB) é uma parceria entre a estatal Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique, com uma participação de 30%, e o grupo indiano Essar Ports Ltd, com os restantes 70%.

Comments are closed.