A Essar Ports, através da sua participada New Coal Terminal Beira (NCTB), vai projectar, construir e explorar um novo terminal de carvão no porto moçambicano da Beira, ao abrigo de um contrato de concessão de 30 anos, anunciou o grupo indiano.

Porto da Beira - termina de carvão

O novo terminal será desenvolvido em duas fases, cada uma com capacidade para movimentar dez milhões de toneladas de carvão/ano. A primeira representará um investimento de 275 milhões de euros e deverá estar operacional no primeiro trimestre de 2020.

A NCTB é detida a 70% pela Essar Ports. Os restantes 30% são da Caminhos de Ferro de M0çambique, aumentou para 20 milhões de toneladas/ano a capacidade da Linha do Sena, que liga a região carbonífera de Tete ao porto da Beira. Mas o porto apenas pode movimentar cerca de seis milhões de toneladas/ano.

Moçambique terá reservadas de 23 mil milhões de toneladas de carvão, o que o torna um dos principais produtores mundiais e atrai o interesse das mineradoras e dos países maiores consumidores de carvão.

Para escoar as quantidades crescentes de carvão extraído das minas moçambicanas, a empresa estatal CFM e grupos privados têm multiplicado os investimentos na modernização/construção de linhas férreas e no aumento da capacidade do sistema portuário.

O investiment0 da indiana Essar Ports agora formalizado já havia sido anunciado em Julho do ano passado, como então o TRANSPORTES & NEGÓCIOS noticiou.

Este é o primeiro investimento portuário da Essar fora da Índia.

» Essar Ports ampliará terminal de carvão da Beira

 

Comments are closed.