O Estado português aumentou o capital estatutário da CP – Comboios de Portugal em 16,8 milhões de euros, de acordo com a informação disponibilizada Comissão de Mercados e Valores Mobiliários (CMVM).

CP

Em consequência, o capital da transportadora ferroviária passou a ser de 3 420 800 000 euros.

No final de Junho, aquando da nomeação do novo presidente do Conselho de Administração da CP, Carlos Nogueira, a imprensa revelou que o Estado tinha colocado na CP mais 12,4 milhões de euros, elevando a mais de 900 milhões de euros o valor usado nos últimos três anos para capitalizar a empresa.

No final de Agosto, a CP anunciou ter reduzido o prejuízo para 57,9 milhões de euros no primeiro semestre do ano, face a igual período de 2016, tendo transportado 60 milhões de passageiros.

No relatório e contas dos primeiros seis meses, o grupo CP explica que, para este desempenho, contribuiu “fundamentalmente” a melhoria do resultado operacional em 8,3 milhões de euros (para 18,8 milhões de euros negativos), ou seja, mais 31% do que no mesmo período do ano passado, e do resultado financeiro, com mais 12%.

Entre Janeiro e Junho, a CP transportou 60,2 milhões de passageiros, 4,8% acima do previsto, um crescimento que diz ser transversal a todos os serviços e todos os títulos.

A dívida remunerada da CP era, em 30 de Junho, de 3 mil milhões de euros, com uma redução de 17,7 milhões em relação ao final de 2016, “em consequência fundamentalmente da amortização de empréstimos do BEI”.

Tags:

This article has 1 comment

  1. António Lagartixa

    É difícil afirmar quantos passageiros a CP transportou, pois são milhares que diariamente se fazem transportar nos comboios suburbanos de Lisboa sem pagar, com a agravante de considerarem que os pagantes são obrigados a deixá-los passar nos acessos, criando situações de insegurança muito preocupantes.