Os armadores nacionais com navios mercantes inscritos no registo convencional têm à disposição cerca de 229 mil euros para apoiar a modernização das respectivas frotas.

Mutualista Açoreana

O montante agora anunciado no Diário da República – 229 687 euros – é exactamente igual ao disponibilizado no ano passado. Parecerá pouco mas em 2014 foi mais do que suficiente, não tendo havido sequer necessidade de ratear as verbas entre as candidaturas.

No essencial, as regras para a atribuição dos apoios à “Modernização da Frota da Marinha de Comércio Nacional” permanecem imutáveis. Em geral, os apoios não podem exceder 50% do investimento realizado, nem os 125 mil euros.

O co-financiamento atribuído é-o a fundo perdido. Mas os armadores beneficiários ficam impedidos de alienar os navios por um prazo que varia em função dos montantes recebidos até um máximo de três anos.

O prazo para a apresentação de candidaturas é de 30 dias após a publicação em Diário da República.

No ano passado foram três os armadores contemplados: a Mutualista Acoreana (que recebeu a “parte de leão”), a Empresa de Navegação Madeirense e a Transinsular.

 

This article has 1 comment

  1. Joaquim B. Saltao

    Esta noticia dá vontade de rir.
    Um navio de 19 000 TEU custa 190 milhões de euros. A navegar, por dia, custa à volta de 200 000 U.S. dollars.
    Aquele valor de 229 687 euros dá para comprar 1173 ton. de IFO 380 (combustível), que dá para 6 dias de navegação (slow steaming) de um navio de 19 000 TEU.
    Grande ajuda à Marinha Mercante!