10 de Agosto é o novo fim anunciado para mais uma greve dos estivadores do porto de Lisboa, convocada pelo SEAL a partir do próximo 6 de Julho.

O sindicato dos estivadores de Lisboa não desarma na sua luta contra os operadores portuários. Enquanto no tribunal prossegue a disputa sobre o fim anunciado da A-ETPL,  na frente de cais mantém-se o braço de ferro com os operadores portuários sobre a utilização de mão-de-obra que não é reconhecida pelo SEAL.

De acordo com o pré-aviso de greve divulgado pelo sindicato, a nova paralisação decorrerá entre as 8 horas de 6 de Julho e as 8 horas de 10 de Agosto. Abrangerá todos os estivadores efectivos ou com contrato por tempo limitado, de todas as empresas de trabalho portuário e empresas de estiva a operar em Lisboa. E verificar-se-á sempre que sejam utilizados nas operações trabalhadores que não integrassem o contingente a 4 de Fevereiro passado.

O pré-aviso de greve estende-se também ao porto de Setúbal, mas no caso visando a operação de navios que desde 4 de Fevereiro tenham sido desviados do porto da capital, por causa da paralisação.

Ou seja, o SEAL mantém a contestação à utilização – pelos operadores portuários ou pelas empresas Porlis e ETE Prime – de trabalhadores contratados na sequência das greves dos estivadores e no decurso do processo que levou ao fim (contestado pelo sindicato) da A-ETPL.

Na fundamentação da greve, o sindicato dos estivadores mantém o essencial das acusações feitas em momentos anteriores, e que visam sobretudo o grupo Yilport e o seu dirigente Diogo Marecos. Sem esquecer os outros operadores portuários, nomeadamente o Grupo ETE.

 

This article has 1 comment

  1. Parabéns Ministro Pedro Nuno Santos tem belos AMIGOS que há 10 anos seguidos destroem o porto de Lisboa, VERGONHA !

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*