O Sindicato XXI de Sines deverá anunciar nos próximos dias um novo pré-aviso de greve, para depois da paralisação temporária que hoje se iniciou e se prolongará até dia 24.

Sindicato XXI tece duras críticas à ministra do Mar

Fracassada uma última tentativa de conciliação entre a PSA/Laborsines e o Sindicato XXI, que representa os trabalhadores do terminal de contentores de Sines, a greve de três horas no final de cada turno avança hoje, como previsto.

Entretanto, em plenário, os associados do sindicato mandataram a Direcção para decretar novo pré-aviso de greve em tempo oportuno. E assim deverá acontecer já nos próximos dias, pois, a última proposta da PSA/Laborsines terá sido “ainda mais agravada do que já estava”, refere o sindicato em comunicado.

“Perante este desprezo e falta de respeito, conjunto com uma manifesta falta de abertura e de pouca vontade, a greve agendada para segunda-feira vai ser executada, sendo decidido no decorrer na semana que vem, a data de lançamento do segundo pré-aviso de greve que foi autorizado ontem [sábado] em Plenário”, acrescenta o texto.

Ministra do Mar culpabilizada

O sindicato dos estivadores de Sines divulgou, entretanto, a carta entregue à ministra do Mar, na passada segunda-feira, onde lhe tece duras críticas.

Em particular, o Sindicato XXI lembra as declarações de Ana Paula Vitorino, em Maio passado, na Assembleia da República, quando sublinhou a necessidade de um acordo laboral para viabilizar o acordo de prolongamento da concessão do terminal de contentores com a PSA Sines.

Para o sindicato, tudo “não passou de um embuste e de um teatro. Embuste, porque toda a informação que temos agora indica claramente esse cenário. Um teatro, porque ajudou uma multinacional a passar por cima de muitos seus compatriotas, com base em falsas premissas”.

Em consequência diz o Sindicato XXI, “tudo o que irá acontecer daqui em diante, irá ter igualmente o seu selo de culpa e não deixaremos de denunciar o que está de errado na esperança de que futuramente esteja outra pessoa no seu lugar, para desenvolver um trabalho positivo para os trabalhadores portuários e não a prestar vassalagem como fez nesta renegociação. Todos os trabalhadores, incluindo os trabalhadores que já foram tristemente dispensados, não esquecerão a sua infeliz acção, e terá esta renegociação um selo, de total indiferença do Governo, perante o destino e as condições laborais dos trabalhadores do Terminal XXI”.

 

 

 

 

 

This article has 4 comments

  1. luís pereira

    Estes estivadores merecem que a PSA, concessionária do terminal XXI de Sines, automatize a 100 % os pórticos de cais que já são 10 e serão muitos mais com a expansão as pessoas que não querem trabalhar merecem desemprego !

  2. Sr Luis Pereira… Quem é que no terminal XXI não quer trabalhar??

  3. luís pereira

    Os que fazem as greves em Sines, em Setúbal, em Lisboa, aqueles que estão a fazer greve no transporte rodoviários de combustíveis, ou ainda não percebeu quem são ? …

  4. luís pereira

    São sempre os mesmos, também os que pararam fábrica AUTOEUROPA em Palmela, etc, conheceç certamente o ditado “QUEM NÃO TRABUCA NÃO MANDUCA”, é fácil !