Mesmo sem progressos nas negociações, onde o governo continua ausente, os sindicatos dos estivadores espanhóis decidiram suspender mais três dias de greve, previstos para amanhã, segunda e quarta-feira da próxima semana.

Estivadores - Espanha

Ontem sindicatos e empresas de estiva voltaram a reunir, mas o encontro foi infrutífero. No final, ambas as partes insistiram na necessidade de o governo se sentar também à mesa das negociações. O Executivo, porém, mantém que a lei já aprovada em Conselho de Ministros vai o mais longe permitido pela Comissão Europeia, pelo que os acordos terão de ser conseguidos em sede de contratação colectiva.

O governo de Madrid justifica a sua posição com a da comissária europeia Violeta Bulc, que já deixou bem claro que a nova legislação espanhola terá ser aprovada até ao próximo dia 24, sob pena de o país incorrer em pesadas multas.

A nova lei do trabalho portuário terá de passar pelo crivo do Congresso, e aí as coisas afiguram-se difíceis para o governo de Mariano Rajoy, com rejeição a ser maioritária entre os deputados. Por isso o governo adiou por uma semana a discussão e votação do diploma.

Terá sido ainda na expectativa de um recuo do Executivo que os sindicatos decidiram, pela segunda vez, cancelar alguns dias de greve. Mantêm-se todavia as greves a meio tempo previstas para 17, 20, 22 e 24 de Março.

A legislação aprovado pelo governo espanhol afecta os cerca de 6 500 trabalhadores portuários do país vizinho ao desmantelar o sistema de SAGEP.

 

 

Comments are closed.