A greve de 24 horas dos estivadores teve a adesão de 100% dos filiados no SEAL, garantiu a estrutura sindical.

Estivadores

A greve decorreu entre as 8 horas de 10 e as 8 horas de dia 11, apenas às horas ímpares, em todos os portos onde o SEAL tem representação.

Em comunicado, o sindicato nacional dos estivadores destaca, para além da adesão a 100% dos seus associados, sobretudo “as paragens nos portos do Caniçal e de Leixões, pela primeira vez nos últimos trinta anos, o que representa um autêntico 25 de Abril à escala destes portos e dos estivadores que aí representamos”.

Recorde-se que a paralisação nacional visou, em particular, as “práticas anti-sindicais” nos portos de Leixões, Sines e Caniçal.

Em todos os portos “a greve decorreu sem incidentes”. A excepção terá sido Leixões, onde, acusa o sindicato, a APDL terá impedido a ACT “de entrar no porto, local de trabalho, “para aí exercer a sua actividade inspectiva, facto revelador do grau de violência a que, nomeadamente, os estivadores de Leixões têm estado sujeitos”.

Em Leixões, os sindicalizados no SEAL são claramente minoritários e, segundo fonte da comunidade portuária, apenas a operação de um navio foi parcialmente afectada pela greve.

Este artigo tem1 comentário

  1. antonio carlos

    Lamentavelmente continua a intoxicação da mentira.
    Sejam sérios.
    No que a Leixões diz respeito a noticia da paralisação é falsa e caluniosa. Leixões apenas teve um contratempo de 20 minutos na descarga de camiões, o trabalho decorreu na normalidade. Se 20m é greve a 100% o que será 24horas.
    Relativamente ao ACT é mentira que não deixaram entrar os representantes da respetiva entidade.
    As inspetoras da ACT fizeram o seu trabalho sem qualquer perturbação, tendo visitado a ETP e as empresa concessionarias sem qualquer tipo de problema.
    Leixões é um porto de bem e não venham criar problemas onde eles não existem
    Resolvam o vosso (Porto de Lisboa) que já tem que chegue.
    Não precisamos de escrever cartas para justificar os nossos insucessos(vejam as redes sociais).