O Sindicato dos Estivadores Portuários de Setúbal 265 (SEP 265) anunciou ter acordado com a Operestiva uma Convenção Colectiva que será melhor que o CCT firmado entre o SEAL e as associações patronais.

Em comunicado, o SEP 265 anuncia que em função do acordo os estivadores da Operestiva “veem os seus direitos reforçados” e as condições salariais e de carreiras melhoradas. Nomeadamente, é dito, fica prevista a possibilidade de serem “instituídos prémios aos trabalhadores”.

Igualmente prevista é a possibilidade de os trabalhadores eventuais admitidos em Dezembro do ano passado “poderem subir de nível antes dos seis anos”.

No toca a condições salariais, o acordo entre o SEP 265 e a Operestiva garante, “para além das actualizações salariais anuais de 1,3% acima da inflação, garante ainda, ao contrário dos outros, um aumento de 1% nas tabelas de remuneração”, acrescenta o comunicado.

“Por fim, enquanto que nos outro sindicatos as regras de colocação garantem que o trabalho suplementar é feito apenas por eventuais, no SEP 265, o trabalho é feito por trabalhadores do quadro e por eventuais”, acrescenta-se.

A propósito de uma alegada intenção da Navipor contratar novos trabalhadores eventuais – “que já foi aceite por outro sindicato” -, o SEP 265 manifesta-se contrário a tais contratações, a menos que “sejam admitidos imediatamente nos quadros pelo menos 10 trabalhadores dos actuais eventuais”.

O SEP 265 foi criado em plena crise dos estivadores no porto de Setúbal. O seu surgimento foi na altura contestado pelo SEAL, o sindicato maioritário no porto sadino, que denunciou o facto de, alegadamente, o novo sindicato ser patrocinado pela Operestiva e pelo grupo Yilport.

O SEAL e os operadores portuários de Setúbal acordaram um novo CCT em Maio passado.

» Estivadores de Setúbal já têm um novo CCT

 

Comments are closed.