Um novo estudo sobre a Linha do Vale do Sousa propõe uma “circular” à Linha do Douro, a partir de Valongo até Amarante e Livração.

Estudo propõe linha circular no Vale do Sousa

O estudo é da Trenmo, encomendado pela CIM do Tâmega e Sousa, e os seus resultados mais relevantes são avançados pelo “Público”. A equipa liderada por Álvaro Costa foi além do projecto inicial da desejada Linha do Vale do Sousa e propõe a sua extensão até Amarante e, daí, o fecho da rede com o regresso à Linha do Douro, na Livração.

Ou seja, a nova linha sairia de Valongo e teria estações em Gandra, Lordelo, Paços de Ferreira (35 minutos até ao Porto), Freamunde, Lousada (43 minutos), Felgueiras (51 minutos), Lixa, Hospital de Amarante e Amarante. A partir dali seria utilizada a Linha do Tâmega até à Livração, actualmente desactivada.

A proposta apresentada prevê a construção em duas fases: a primeira entre Valongo e Felgueiras (35,5 quilómetros e 181 milhões de euros) e a segunda entre Felgueiras e Amarante (17,6 quilómetros e 109 milhões de euros). A adaptação dos 13 quilómetros entre Amarante e Livração custará uns 37,5 milhões de euros.

A linha defendida pela Trenmo seria electrificada e em via única, com o traçado a respeitar o relevo (para reduzir custos) mas com as estações inseridas o mais possível nos centros das localidades.

A exploração da nova ligação, dizem os autores do estudo, dará “lucro”, se não se considerar o investimento inicial, e mesmo sem contabilizarem os ganhos das externalidades. Além disso, CP e Metro do Porto ganharão clientes, em prejuízo dos autocarros e do transporte individual.  .

 

Comments are closed.