As principais companhias mundiais de transporte marítimo de contentores foram ilibadas num processo do Departamento de Justiça (DoJ) dos EUA em que eram suspeitas de cartelização.

A investigação havia sido dada a conhecer em Março de 2017, quando as autoridades norte-americanas foram a uma reunião do Conselho Internacional de Operadores de Contentores (também conhecido por Box Club), nos EUA, para intimar dirigentes de várias companhias a prestarem declarações numa investigação. Maersk Line, Hapag-Lloyd e OOCL estavam entre as companhias acusadas.

O inquérito foi aberto devido a preocupações sobre possíveis comportamentos anti-concorrenciais das companhias, após estas terem solicitado aprovação da Comissão Marítima Federal dos EUA para formarem as alianças Ocean Alliance e THE Alliance.

A Maersk confirmou que o DoJ dos EUA encerrou a investigação e libertou a companhia de todas obrigações impostas pelas intimações emitidas em Março de 2017.

“A Maersk prestou toda a cooperação ao DoJ durante a investigação e acreditamos que a decisão do DoJ de libertar de obrigações a Maersk reflecte o nosso forte compromisso com as autoridades e políticas de conformidade com a concorrência ao longo dos anos”, indica, citada em comunicado, Camilla Jain Holtse, directora de direito e política da concorrência da AP Moller-Maersk.

“Esta é uma decisão importante em que a indústria global de transporte marítimo de contentores foi, mais uma vez, totalmente investigada e exonerada. A MSC tem o prazer de poder seguir o seu caminho, agora que este assunto está encerrado”, avançou, por seu turno, fonte da segunda maior operadora ao portal “World Maritime News”.

Também a OOCL já reagiu à decisão. O director de comércio da companhia sediada em Hong-Kong, Stephen Ng, confirmou que esta foi notificada e que está “satisfeita em ver que o processo foi arquivado”.

 

Comments are closed.