A euroAtlantic Airways anunciou hoje, em comunicado, que a partir de 2 de Agosto realizará apenas um voo semanal para Bissau. As autoridades locais já reagiram.

Euroatlantic

A companhia aérea portuguesa justificou a decisão com o excesso de oferta no mercado da Guiné-Bissau.

A euroAtlantic Airways referiu também que vai “continuar a aguardar, da parte do governo e da autoridade aérea da Guiné-Bissau, a conclusão do processo de certificação do Aeroporto Internacional Osvaldo Vieira, exigido pelas autoridades da União Europeia para transporte de carga aérea, de países terceiros para a Europa”.

Autoridades guineenses criticam “deselegância”

“A ser verdade [a diminuição da oferta], a Agência da Aviação Civil da Guiné-Bissau regista com desagrado a deselegância de ter tomado conhecimento desta decisão através da imprensa e disso dará conhecimento à administração da companhia”, ripostou, em comunicado enviado  à “Lusa”, a Agência da Aviação Civil (AAC) guineense.

No comunicado, a AAC esclarece que o “impacto no mercado não será relevante na medida em que os passageiros do voo serão absorvidos pelas ofertas das demais companhias concorrentes na mesma rota, que felizmente continuarão a contar com 10 voos semanais”.

A AAC esclarece também que em relação a um eventual condicionamento das operações da companhia devido à certificação do aeroporto internacional Osvaldo Vieira, a “própria euroAtlanticAirways está a operar na rota sem nenhum constrangimento até à data”, reforçando que as “operações de carga são menos exigentes e impõem menos requisitos de certificação que as operações de passageiros”.

Comments are closed.