É uma estreia nacional. Um pórtico de cais pós-panamax fabricado pela Eurocrane está a ser carregado no porto de Aveiro com destino a Sète, no Sul de França.

A viagem marítima, que “deverá demorar quatro a cinco dias”, conforme adiantou ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS José Vidicas, da Portmar, é a última etapa de um processo iniciado em Março de 2010, quando a portuguesa Eurocrane venceu a concorrência internacional no concurso para o fornecimento de um pórtico pós-panamax ao porto de Sete.

Um negócio avaliado em 6,5 milhões de euros e que confirma a capacidade da Eurocrane, já com uma forte presença nos terminais de contentores nacionais, nomeadamente na Liscont, Sotagus e TCL.

O novo pórtico foi construído nas instalações da empresa em Vila Nova de Gaia e a montagem final foi feita em pleno porto de Aveiro. O conjunto pesa cerca de 1 100 toneladas e tem cerca de 70 metros de altura.

Entre as características operacionais deste pórtico produzido pela Eurocrane destacam-se a possibilidade de movimentar dois contentores de 20” em simultâneo (twin lift), os 34 metros de altura de elevação e o alcance de 44 metros (que o torna capaz de chegar a 14 ou 15 filas de contentores no navio).

O transporte de um tal “gigante” será feito a bordo do “Fairplayer”, um navio da Jumbo Shipping, equipado com duas gruas de 900 toneladas de capacidade cada. O armador holandês é representado em Portugal pela Portmar, que tem no seu historial outros transportes de grandes dimensões, como “uma peça carregada em Itália para Sines, com um peso de 1 600 toneladas, e que foi transportada por este mesmo navio, em Março do ano passado”, lembrou José Vidicas.

A Eurocrane ganhou recentemente o contrato para o fornecimento de mais um pórtico de cais pós-panamax e um pórtico de parque ao TCL, num negócio de 8,2 milhões de euros.

Comments are closed.