Chipre fechou os processos de concessões do porto de Limassol, com a Eurogate a ficar com o terminal de contentores e a DP World, através da P&O Maritime, com o terminal multiusos. Ambas as concessões terão a duração de 25 anos e arrancam em Janeiro de 2017.

Chipre - Porto de Limassol

A alemã Eurogate, parceira da Tertir no terminal de contentores de Alcântara, lidera um consórcio (tem 60%) do qual também fazem parte a Interorient Navigation Company (20%) e a East Med Holdings (20%). As três companhias têm um passado em comum, pois operaram, ao longo de 16 anos, o United Feeder Service, até este ser comprado, em 2013, pela Unifeeder.

O terminal de contentores do porto de Limassol tem uma capacidade de 500 000 TEU/ano. Os últimos números conhecidos, de 2014, indicam 308 000 TEU movimentados, a maioria dos quais relativos as cargas com origem ou destino no país.

O objectivo das autoridades cipriotas e da nova concessionária é, porém, aumentar a carga transportada e fazer concorrência a portos mais fortes da região, como o Pireu, Port Said ou Istambul.

O terminal de contentores de Limassol tem 800 metros de cais e fundos de -17 metros no canal de aproximação e de -16 metros nos postos de atracagem. Com a concessão do terminal em Chipre, a Eurogate eleva para oito as localizações no Sul da Europa e Mediterrâneo, juntando-se Limassol a Lisboa, Tanger-Med, Cagliari, Gioia Tauro, La Spezia e Ravenna.

DP World fica com o Multiusos

A concessão do terminal multiusos à DP World abrange a movimentação de carga a granel, geral e ro-ro. Já a subsidiária P&O Maritime irá assegurar, mas aqui por um prazo de 15 anos, as operações de reboque e pilotagem.

A DP World concorreu a esta concessão em parceria com a empresa cipriota de logística GAP Vassilopoulos. Segundo o acordo, a companhia sediada nos Emirados Árabes Unidos detém 75% do capital e o direito de gestão das duas joint-ventures formadas.

 

 

 

Comments are closed.