Um grupo de peritos entregou à Comissão Europeia um estudo compreensivo sobre a substituição dos combustíveis fósseis por combustíveis alternativos no sector dos transportes.

Na sua análise, os especialistas concluem que os combustíveis alternativos têm o potencial para gradualmente substituírem as tradicionais fontes de energia fósseis até 2050. As necessidades dos diferentes modos de transporte poderão ser supridas mediante a combinação da electricidade (baterias ou células de combustível) e dos biocombustíveis como principais opções, e também com o contributo dos combustíveis sintéticos, do metano (gás natural e biometano) e do GPL.

E todos os combustíveis sustentáveis serão necessários, até porque cada modo de transporte exigirá diferentes alternativas.

De acordo com o relatório apresentado ao comissário Kallas, a utilização de combustíveis alternativos é a solução para “descarbonizar” o sector dos transportes. Contudo, sublinham os peritos, a viabilidade técnica e económica, o uso eficiente das fontes de energia primárias e a aceitação pelos consumidores serão decisivos para a conquista de quota de mercado dos combustíveis alternativos e das tecnologias dos veículos.

Segundo o comissário dos Transportes e vice-presidente da Comissão, Siim Kallas, até 2050 a Europa precisa de estabelecer um sistema de abastecimento dos transportes independente do petróleo e predominantemente não poluente, como forma de reduzir o impacte da actividade no meio ambiente e de garantir a segurança do abastecimento energético.

O estudo agora recebido será incluído na “Iniciativa para os sistemas de transportes limpos” que a Comissão se propõe lançar ainda este ano.

Os comentários estão encerrados.