Nunca tantos camiões passaram o túnel da Mancha. No ano passado foram 1 483 741. Um recorde histórico, que contribuiu para a melhoria dos resultados da Eurotunnel.

Eurotunnel

A gestora do túnel ferroviário da Mancha anunciou um resultado líquido consolidado de 100 milhões de euros relativo ao exercício de 2015. Em 2014, foram 74 milhões de euros.

O volume de receitas cresceu 5% para 1,2 mil milhões de euros, enquanto os resultados operacionais melhoraram 2% para 387 milhões de euros e o EBITDA atingiu os 542 milhões de euros (mais três milhões que em 2014).

Apesar dos incidentes de segurança, o tráfego de camiões sob a Mancha cresceu para valores recordes (cerca de 1,5 milhões de camiões) e o mesmo aconteceu com o número de passageiros, com o Eurostar a ficar muito próximo dos 10,4 milhões de clientes.

Na mesma linha, o negócio de transporte ferroviário de mercadorias, concentrado na Europorte e subsidiárias (com destaque para a GB Rail Freight), também cresceu, 9% em volume de negócios para um total de 307 milhões de euros.

Só a MyFerryLink não conheceu o desfecho desejado pela Eurotunnel. O negócio foi descontinuado e os navios cedidos à DFDS. Ficou o resultado negativo de sete milhões de euros.

Para 2016, as perspectivas de negócio são positivas, prevê a Eurotunnel, com o aumento do tráfego de camiões entre o Reino Unido e o Continente, o reforço da oferta com mais três shuttles de transporte de camiões, o crescimento do transporte ferroviário de mercadorias e o arranque de novas ligações de Alta Velocidade entre Londres e Amesterdão.

 

Comments are closed.