Até ao final do ano, o Governo prevê lançar o concurso para a ligação Évora-Elvas, na linha Sines-Caia, e adjudicar a obra para o troço entre a Covilhã e a Guarda (Linha da Beira Baixa).

20170602_lba-consignacaotaludes-730x400

O anúncio foi feito pelo ministro do Planeamento e das Infraestruturas durante a cerimónia de consignação da obra de estabilização de taludes na Linha da Beira Alta, como que a marcar o arranque da intervenção no Corredor Ferroviário Internacional Norte.

A Infraestruturas de Portugal vai iniciar os trabalhos de estabilização de cinco taludes localizados ao longo de 23 quilómetros, no troço compreendido entre a Estação do Luso-Buçaco e a Estação de Santa Comba Dão da Linha da Beira Alta, intervenção de cerca de dois milhões de euros que tem como objectivo assegurar o reforço das condições de segurança e circulação neste troço.

O ministro lembrou que, de momento, os comboios que vêm de Leixões e Aveiro têm “de ir a sul” para utilizar a linha da Beira Alta, sendo que no contexto de modernização desta ferrovia vão ser criadas “condições para que a concordância se faça em condições e de modo rápido” para esses mesmos portos.

Pedro Marques explicou que as primeiras intervenções irão ajudar a reduzir os atrasos e constrangimentos sentidos nesta linha.

Posteriormente, e depois de finalizada a reposição da linha da Beira Baixa, na ligação entre a Guarda e a Covilhã, será possível arrancar com “a grande intervenção de fundo” na linha da Beira Alta, com o movimento de comboios a ser libertado na altura para a ferrovia da Beira Baixa.

“É um plano à altura daquilo que a nossa rede ferroviária merece e precisa”, salientou.

A Linha da Beira Alta liga o entroncamento ferroviário da Pampilhosa (Linha do Norte), à fronteira com Espanha, em Vilar Formoso.

No total, os investimentos previstos para para o Corredor Ferroviário Internacional Norte rondam os 700 milhões de euros.

 

Comments are closed.