O equilíbrio entre a oferta de capacidade e a procura de transporte marítimo de contentores, recuperado este ano, poderá ficar em causa já em 2011, para quando se prevê a manutenção do ritmo de crescimento da capacidade e um forte redução da taxa de aumento da procura.

A frota mundial de porta-contentores deverá crescer este ano 1,4 milhões de TEU, ou 9,5%, prevê a AXS Alphaliner. No mesmo período, o movimento global de contentores deverá progredir 12%.

Na prática, no final do ano verificar-se-á uma situação de equilíbrio, com o transporte de contentores a recuperar da quebra de 8,6% experimentada em 2009. O acréscimo de actividade foi compensada com os novos navios e com a reactivação de outros, imobilizados em 2009, e representando cerca de 1,28 milhões de TEU.

Mas as coisas poderão mudar, para pior, já no próximo ano, advertem os analistas parisienses.

A procura já começa a dar sinais de abrandamento neste segundo semestre, e deverá abrandar ainda mais em 2001, caindo de uma taxa anual, prevista, de 12% este ano para apenas 6%-8%.

Ao invés, o aumento da capacidade deverá manter-se sensivelmente ao mesmo nível deste ano (9,5%) ou mesmo acelerar um bocadinho (para os 9,6%).

Daqui resultará, concluem os analistas, um novo desequilíbrio entre oferta e procura. O que se não será suficiente para determinar a imobilização de navios (até porque o slow-steaming veio para ficar), poderá pressionar em baixa os fretes.

Já para 2012, os analistas da AXS Alphaliner prevêem  um crescimento de 7,6% do lado da oferta e uma subida de 8,2% na procura.

Os comentários estão encerrados.