Com a expansão do terminal ro-ro, o porto de Setúbal pretende posicionar-se como um hub de transhipment no tráfego intercontinental de automóveis.

Porto de Setúbal

Coincidindo com as comemorações do 81.º aniversário do Porto de Setúbal, a APSS assinou o contrato de expansão do terminal ro-ro, agora baptizado de Terminal Ro-Ro Coelho da Mota, em homenagem ao primeiro presidente da empresa e impulsionador da construção do terminal.

Cerca de 2,9 milhões de euros é o custo da empreitada, que permitirá acrescentar 5,8 hectares de terraplenos ao terminal. Um espaço que servirá para parquear mais veículos e para ali instalar serviços de valor acrescentado relacionados com a preparação dos automóveis. É intenção da administração portuária concessionar essas actividades.

Com este investimento, o Porto de Setúbal, líder nacional destacado na movimentação de veículos, aposta em posicionar-se na importação e distribuição de automóveis, para Portugal mas também para a vizinha Espanha, e ainda, ou sobretudo, tornar-se um hub ro-ro de crosstrade intercontonental na ligação entre as rotas do Atlântico, África, Ásia e as linhas do Mediterrâneo.

Com uma frente de cais de 365 metros e fundos de -12 metros, o terminal pode receber alguns dos maiores navios car-carriers da actualidade. O terminal – que se estende por cerca de 15 hectares – tem acesso directo por ferrovia.

No ano passado, Setúbal movimentou 149 039 veículos (mais 19,5%). No primeiro trimestre deste ano contabilizaram-se cerca de 40 mil viaturas (um crescimento de 15%).

Comments are closed.