O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, reiterou hoje que as obras de expansão dos metros de Lisboa e do Porto arrancam “logo no início de 2019”, num investimento de mais de 700 milhões de euros.

Expansão dos metros de Lisboa e Porto custará 700 milhões de euros

 

“As empreitadas para o Metro de Lisboa e do Porto serão lançadas logo no ano de 2019, num valor somado de mais de 700 milhões de euros”, afirmou o governante,  no Parlamento, numa audição conjunta das comissões de Economia e de Ambiente, no âmbito da apreciação na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2019.

Na ocasião, João Pedro Matos Fernandes notou que “já está concluído o estudo de impacte ambiental para o Metro de Lisboa”, acrescentando que o do Porto “já está em curso”.

Numa nota explicativa enviada aos deputados, e disponível no site do Parlamento, o Executivo indica que “o projecto de prolongamento Rato/Cais do Sodré, com um prazo de execução previsto de 68 meses, e cuja obra se estima iniciar no decorrer do primeiro semestre de 2019, tem como objectivo primordial aumentar o número de passageiros, quer pela disponibilização do serviço a zonas densamente povoadas da cidade não abrangidas pela actual rede, […] quer pela melhoria da intraconectividade da rede”.

“Este investimento será executado até 2023 e terá um valor global estimado de 210,2 milhões de euros”, acrescenta-se

A este valor acresce a compra de 14 novas carruagens e de sistema de sinalização, num valor de 136,5 milhões de euros, “cujo concurso foi lançado em Setembro de 2018”.

No que toca ao Metro do Porto, “estão em fase final de elaboração os projectos de execução da Linha Rosa e do prolongamento da Linha Amarela”, cujos concursos para as obras serão lançados no primeiro trimestre de 2019, indica o documento.

Enquanto a primeira linha, a Rosa, será “totalmente subterrânea, com a extensão de 2,5 quilómetros e com quatro novas estações enterradas”, a segunda, a Amarela, terá “3,2 quilómetros e contemplará três novas estações”.

“Nos dois casos foram já obtidas as conformidades do EIA [estudo de impacte ambiental], estando já os processos em fase de consulta pública”, acrescenta.

Segundo o Governo, estas novas linhas no Porto “vão servir, diariamente, mais de 33 mil pessoas, cobrindo importantes pólos de procura”, num investimento global “na ordem dos 307 milhões de euros”.

A este valor somam-se 56,1 milhões de euros em manutenção e compra de 18 novas carruagens para o Metro do Porto.

 

Os comentários estão encerrados.