As exportações de bens decresceram 8,3% em Junho, face ao mesmo mês de 2018, indicam os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

As importações também baixaram, mas menos (-4,1%), pelo que houve um agravamento do défice comercial para 1 833 milhões de euros.

O valor das exportações em Junho foi o mais baixo de 2019, naquela que foi a pior variação mensal desde Agosto do ano passado, um mês tradicionalmente mais fraco. Em relação a Maio, as exportações diminuíram 15,4%.

Uma das justificações para a queda tão acentuada das exportações de bens em Junho é, de acordo com o INE, o facto de o mês ter tido menos quatro dias úteis que Maio. Essa não é, porém, a única explicação. É que, nos combustíveis, a exportação baixou 34,3% em Junho, mais do que a importação, que caiu 24,8%. Além disso, houve um acréscimo substancial de importação de material de transporte (32,4%), mormente devido à compra de aviões.

Mesmo excluindo os combustíveis, o défice da balança comercial de bens aumentou, segundo o INE. Sem combustíveis e lubrificantes, o défice comercial cresceu 288 milhões de euros, ascendendo a 1 270 milhões de euros em Junho.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*