As exportações de têxteis e vestuário caíram 2,7% em Agosto, e com isso o acumulado dos oito primeiros meses de 2019 ficou em terreno negativo (-1,1%).

Entre Janeiro e Agosto, as exportações do sector foram de 3 569 milhões de euros, de acordo com a Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP).

Os produtos que mais comprometeram o resultado foram o vestuário de malha que, no período, registou uma queda absoluta de 49 milhões de euros (-3,2%), sendo aquele que causa maior impacto devido ao seu peso de 41% do total das exportações do sector.

Em contrapartida, a ATP destaca os resultados positivos das exportações de vestuário em tecido (acréscimo de 25 milhões de euros no período, portanto +3,9%) e das exportações de pastas, feltros e artigos de cordoaria (acréscimo de 19 milhões de euros, ou seja +10,9%).

Balança comercial permanece positiva

Quanto às importações de têxteis e vestuário, a ATP indica que, no mês de Agosto, também registaram uma quebra homóloga, no caso de 3,6%. Todavia, o valor acumulado dos oito meses do ano manteve-se positivo, com +3% e um valor importado de 2 883 milhões de euros.

Os produtos acabados (vestuário e têxteis confeccionados, incluindo têxteis para o lar) representam 58% do valor importado e estão em crescimento (as importações de vestuário aumentaram 6,5%). Nas importações, importa destacar a quebra verificada nas matérias-primas de algodão.

Feitas as contas, o saldo da balança comercial dos têxteis e vestuário continua no “verde”. Até Agosto, foi de 685 milhões de euros, com uma taxa de cobertura de 124%.

 

 

 

Comments are closed.