Em Janeiro, as exportações de têxteis e vestuário aumentaram quase 3%, face a igual mês do ano passado, atingindo 456 milhões de euros, indica a ATP.

As exportações de matérias-primas têxteis aumentaram 1,4%, as de vestuário 3,1% e as de têxteis-lar e outros produtos têxteis confeccionados 3,3%. “Os destinos que registaram melhores desempenhos foram a França (acréscimo de cerca de cinco milhões de euros, ou seja, +8,2%), a Suécia (aumento de 2,5 milhões de euros, correspondendo a +21,3%) e a Alemanha (mais 2,3 milhões de euros, isto é, +5,4%)”, refere a Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP)..

Espanha segue a tendência de 2019 e regista o pior desempenho, com menos 2,5 milhões de euros (-2%). Representa agora pouco mais do que um quarto das exportações totais do sector.

As importações neste mês caíram quase 6%, perfazendo um valor de 386 milhões de euros, tendo afectado todo o tipo de produtos, desde matérias-primas a produtos acabados. No entanto, as matérias-primas foram as mais afectadas, tendo diminuído quase 12% (-19 milhões de euros). É o início dos efeitos Covid-19. As importações da China caíram quase 12% (menos 4,5 milhões de euros), adianta a ATP em comunicado.

O saldo da balança comercial dos têxteis e vestuário ficou, assim, em 70 milhões de euros.

 

Comments are closed.